Quando ouvimos a palavra “Romano” logo vem a mente alguns daqueles famosos cenários de filme, cidades organizadas, limpas, com pilares bem esculpidos e edificações suntuosas. É claro que para construir cidades tão perfeitas, era necessário conhecer e desvendar os números. Eles estavam em toda a cidade.

Os números romanos mais parecem um alfabeto. Isto porque ele é constituído por letras que representam números. 

numeração romana

Os numerais I, X, C e M não podem ser escritos repetidamente mais de 3 vezes.

Por exemplo: Para formar o número 4, é preciso escrever assim IV.

Isto porque, I, X e C a frente de numerais maiores tem poder de subtração. É como escrever 5-1. Os mesmos algarismos escritos ao lado direito tem poder somatório. Colocando um traço horizontal acima de qualquer numeral, ele se multiplica por mil.

Isto porque, imagine só escrever o número 20mil? Seriam necessários 20 algarismos M. Haja espaço!! Há alguns registros em que o número 4 vinha grafado assim IIII.

Há alguns relógios que até usam este tipo de grafia, mas não era usual, já que a regra da repetição tripla passou a valer.

I- 1

II - 2

III - 3

IV - 4

V - 5

VI - 6

VII - 7

VIII - 8

IX - 9

X - 10

 

XI - 11

XII - 12

XIII - 13

XIV - 14

XV - 15

XVI - 16

XVII - 17

XVIII - 18

XIX - 19

Era muito difícil fazer contas com estes algarismos, que foram usados até meados do ano 1200 depois de Cristo.